O medo que a pessoa que sofre de fobia social é, majoritariamente um medo da rejeição. Não digo rejeição amorosa, mas rejeição como um todo.

rejeição e fobia social

O sentimento de inadequação, de inferioridade, de que não se é sufiente, atraente ou interessante faz com que a pessoa com fobia social já parta do princípio que a rejeição é inevitável e que é melhor nem tentar.

Muitas vezes essa própria posição de presumir a rejeição desperta nas outras pessoas sentimentos que podem sim se tornar rejeição. Por exemplo, você pode sim ser a pessoa chata que você acha que é se, ao interagir com alguém, trazer esses sentimentos para a conversa na forma de lamúrias e lamentações,

Aí a pessoa se cansa e você tem a confirmação da sua teoria de que todos te rejeitam.

Mas esse artigo não é sobre como evitar a rejeição, mas sim como lidar com ela

Não leve a rejeição para o pessoal

Muitas pessoas praticam o que chamamos de leitura mental, isto é, elas presumem o que os outros estão pensando.

Essa adivinhação é sempre alimentada por ideias que a pessoa tem sobre si mesma o que, via de regra, é uma opinião bastante negativa.

Então, quando a pessoa sofre uma rejeição, ela presume um monte de coisas, leteralmente adivinhando os motivos por trás daquela rejeição, o que normalmente envolve algo que reforce as ideias negativas que a pessoa já tem sobre si.

Não passa pela cabeça dela quem talvez a rejeição vem de outro lugar, por outros motivos.

Talvez aquela pessoa que te rejeitou na balada o fez pois você lembra muito um ex que foi ruim pra ela.

Talvez seu amigo recusou o convite de ir ao cinema com você por ter vergonha de confessar que está com diarreia.

Talvez você não tenha conseguido a vaga de emprego, pois, de fato, não se encaixa no perfil da vaga.

Em resumo, não leve as rejeições para o pessoal. As pessoas possuem as suas próprias motivações para fazer as coisas.

Lidando com as emoções negativas

Partindo do princípio que você sofreu a rejeição e conseguiu não levar para o pessoal. Pode ser que, ainda assim sentimentos negativos como a tristeza surjam.

A variedade de sentimentos negativos que uma rejeição pode provocar via depender de muitos fatores, entre eles quem te rejeitou, como foi a rejeição e como é o seu histórico traumático de rejeições.

De qualquer forma, você precisa encarar essa experiência como uma oportunidade de aprendizado. Eu sei que é meio insensível exigir isso de você num momento delicado assim, mas é uma forma de você conseguir criar uma distância da situação. Essa distância vai ajudar a reduzir o peso emocional do acontecido.

Então, vamos supor que um amigo recusou um convite para sair. Você conseguiu entender a desculpa dada. Porém, ao analisar os sentimentos você detectou os seguintes: tristeza, frustração e decepção.

A resposta não pode ser a rejeição por si só. Quantas vezes não senti alívio em ser rejeitado em situações que eu sabia que seriam negativas para mim, como uma entrevista de emprego que você foi apenas para agradar seus pais, por exemplo.

Ok, você sente tristeza. Por quê?

Por que você gosta dessa pessoa e gostaria de aproveitar sua companhia? Por que a desculpa que ela deu é algo ruim, como uma doença? Tente aprender com a tristeza.

Qual a razão para a frustração?

Você queria muito ir ao cinema, mas não gostaria de ir só? Suas expectativas foram quebradas? Tente aprender com a frustração.

Você sentiu decepção, por quê?

A desculpa usada não justificaria a rejeição? Sente decepção consigo por ficar triste ou não entender a situação do amigo? Tente aprender com a decepção.

Talvez, ao fim dessa observação, você consiga entender que seu amigo tem estado mais ocupado e por conta disso não tem tido mais tanta disponibilidade. Então você deveria buscar mais amigos para ter mais opções quando quiser sair.

Em resumo: não tente adivinhar o pensamento e as razões das pessoas, não leve a rejeição para o lado pessoal e aprenda com seus sentimentos negativos.

Agora, como evitar adivinhar os pensamentos das pessoas e outras formas de pensamentos distorcidos?

Isso vai ficar para outro artigo.

Curta, compartilhe e espalhe o bem!

Até a próxima!